Bem vindos!

Resgatar a história de um móvel é manter nossas raízes. Renovar uma peça, da qual você está cansada, é dar uma nova chance ao que também tem história. Por mais que você pinte e renove, ela sempre terá seu desenho original, indicando uma época. Isso é respeito à nossa cultura e respeito ao meio ambiente.

Sandra Guadagnin

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Cimo - Cadeira Giratória.

Móveis Cimo (Companhia Industrial de Moveis S/A).

Fundada pelos irmãos austríacos Jorge e Martim Zipperer, foi a maior fábrica do ramo de mobiliário na América Latina da década de 30 até 70. Era sediada em Rio Negrinho, SC (hoje grande pólo moveleiro do país).

A Cimo conseguiu padronizar a fabricação de móveis em escala. Inovou em ferragens e reaproveitamento de aparas de Imbuia, madeira largamente usada na fabricação de seus móveis. Foi pioneira também no reflorestamento de áreas, de onde eram retiradas as árvores usadas pela fábrica.

Contudo, a entrada de materiais competitivos no mercado e a queda nas exportações, a Cimo foi perdendo força e competitividade, vindo a fechar suas portas em 1980. Mas deixou sua marca que permanece em escolas e cinemas, pelas cadeiras de vários modelos, com estruturas bem resolvidas, montadas por parafusos e encaixes perfeitos.

Restaurar um móvel Cimo é um prazer, pois a qualidade na montagem é muito bem pensada e permite que você monte e desmonte todas as peças, facilitando a recuperação de pequenos detalhes.

Cadeira de escritório Cimo
C. de 1920, em Rio Negrinho, SC.
Com assento regulável na altura e inclinação por meio de uma engrenagem giratória de ferro inspirada nos bancos de piano.
A cadeira está associada ao cotidiano dos servidores públicos no século XX.

sandraguadagnin
Cadeira em fase de restauro.
sandraguadagnin
Ferragens em perfeito estado.
sandraguadagnin
Estrutura em Imbuia maciça, com assento em compensado laminado e moldado.
sandraguadagnin
sandraguadagnin
sandraguadagnin
sandraguadagnin
sandraguadagnin
Detalhe da base.
sandraguadagnin
Identificação da Cimo.

2 comentários:

  1. Quiçá retorne este proceder de construir, fabricar para durar e ser possível restaurar posto que o material é duradouro, de qualidade...
    Os tempos estão mudando...depende de cada um de nós levantarmos os tijolinhos de tempos melhores.
    Sou tua fã Sandra.
    Abração <3

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma dessas no meu quarto. Mas está precisando de conserto. Adoro minha cadeira, muito confortável.

    ResponderExcluir

Olá! Deixe seu recado e espero te ver mais vezes por aqui.