Bem vindos!

Resgatar a história de um móvel é manter nossas raízes. Renovar uma peça, da qual você está cansada, é dar uma nova chance ao que também tem história. Por mais que você pinte e renove, ela sempre terá seu desenho original, indicando uma época. Isso é respeito à nossa cultura e respeito ao meio ambiente.

Sandra Guadagnin

Presenteie com criatividade.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Antigas polias de madeira da década de 50

Como tudo que é de madeira me atrai, estou com uns planos diferentes, fazer com que o restauro se estenda para além dos móveis. 
Restaurei algumas polias, bem antigas, pertenciam à uma fazenda no interior do Paraná, onde funcionava uma "atafona" - segundo alguns dicionários, é uma casa de moagem de farinha, podia ser por tração manual, animal ou, uma roda d'água fazia girar os mecanismos. 
Pesquisando, encontrei belas imagens relacionadas ao tema do post. Para quem gosta de história, uma pequena viagem ao tempo.













Abaixo, polias de madeira que restaurei. A intenção é fazer delas tampos de mesa, banquetas ou pendurá-las na parede, no ambiente da churrasqueira em sua casa. Todas devidamente tratadas contra cupins e outros insetos espertinhos que destroem essas raridades. Lixadas e envernizadas. Podendo, assim, ficarem expostas à relativa umidade e sol.

  Polia maciça.
Consegue imaginar quantas voltas essa polia deu em mais de 40 anos de uso?
Daria algumas voltas ao mundo.


 A mais bonita, em minha opinião. A maior, com 71cm de diâmetro.
Perfeita para uma mesa, com um tampo de vidro apoiado em cima.


Polia vazada. 
Esta, em cerne de Pinheiro, extremamente duro, e cedro - parte avermelhada. Parafusos grandes deram e dão conta de segurar as meias-luas centrais.  


Polias numeradas, para serem usadas em banquetas de bar.

Pensa aí em uma maneira diferente de reusá-las. Afinal, tantos anos de trabalho merecem um destino digno, concordam?

Estão todas à venda. Clique abaixo e confira.







Abraço e seja sempre bem vindo ;)

Sandra